Acervo Mupe – Escola Guilherme Lacerda Braga Sobrinho (CAIC) – Como você vê o seu bairro?

Alunos da Escola Guilherme Lacerda Braga Sobrinho (CAIC), no Sítio Cercado, mostraram seus desenhos e redações sobre o bairro neste sábado, dia 21/11/2009 durante a comemoração do Dia Nacional da Consciência Negra. São mais de 150 desenhos e redações produzidos por alunos de diferentes faixas etárias do ensino fundamental. A proposta de documentação é do MUPE – Museu de Periferia do Sitio Cercado – em fase de implantação como Ponto de Memória e conta com a orientação em metodologia e processos museais da equipe técnica do IBRAM – Instituto Brasileiro de Museus. Os trabalhos foram exibidos em murais de cartolina. A atividade teve orientação da professora de história Simone Raia e será proposto em outras escolas do bairro em 2010.


A orientadora da atividade, professora Simone Raia

Os desenhos e redações estão sendo reproduzidos fotográficamente e transcritos pela equipe do MUPE seguindo critérios museolólgicos de documentação e arquivamento, e serão disponibilizados para o público como acervo digital na página do MUPE . A criação deste acervo permitirá a capacitação de moradores do bairro, através de oficinas de fotografia, em metodologias de reprodução digital de imagens e documentos, catalogação, arquivamento e disponibilização de conteúdos na internet

Link de acesso para o conjunto dos desenhos no acervomupe

A professora de História, Jenny Maestri Frank, que já desenvolve um projeto de museu itinerante, também realizou a atividade com suas turmas. A professora recentemente participou de um curso de museologia social oferecido pelo IBRAM.

O MUPE desenvolve projeto de pesquisa sobre a Memória Viva do Sítio Cercado através dos relatos e das representaçôes dos moradores. O bairro era praticamente uma área rural até o final da década de e 70 teve um crescimento gigantesco nos últimos 30 anos. Para além da história oficial produzida academicamente, os depoimentos expressam a mitologia ativa na comunidade sob a perspectiva de cada indivíduo, e indicam novos caminhos para o desenvolvimento social. Os desenhos revelam características locais presentes no imaginário dos alunos, dentre elas o grande adensamento habitacional, o trânsito de automóveis, a violência urbana, e os equipamentos de lazer das escolas, com suas canchas de esportes, gangorras e escorregadores.

Anúncios